top of page
  • Foto do escritorDanilo Jeffetson

5 profissões do futuro e como se preparar para elas

Saiba quais são as carreiras mais promissoras da década e como se desenvolver para chegar lá

Que o mercado de trabalho não é mais o mesmo não é novidade para ninguém. Especialmente após a pandemia de covid-19, a transformação digital, que já vinha acontecendo há alguns anos, ganhou ainda mais força em todos os âmbitos da sociedade.

Com isso, as profissões ligadas ao uso da tecnologia estão cada vez mais requisitadas tanto pelas empresas quanto pelos trabalhadores, uma vez que os salários mais altos e os modelos mais flexíveis de trabalho estão fazendo os profissionais desejarem migrar para essas áreas.

Porém, estudos indicam que ainda não há número suficiente de pessoas capacitadas para ocupar esses postos. Um relatório publicado em dezembro de 2021 pela Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) estima que o déficit de profissionais na área de tecnologia pode chegar a 530 mil trabalhadores até 2025.

Isso porque a expectativa é de que essas empresas demandem cerca de 797 mil novos talentos até a metade da década, sendo que o número de pessoas que se formam em cursos ligados à tecnologia a cada ano fica em torno de 53 mil.

Ou seja, oportunidade é o que não falta. Ainda há muito espaço a ser conquistado por quem se interessa pela área, e o momento do mercado não poderia ser melhor.

Listamos cinco profissões digitais do futuro nas quais você deve ficar de olho na próxima década se não quiser perder a chance de surfar na onda da transformação digital.


1. Desenvolvedor de software

Em primeiro lugar na lista está a famosa carreira de desenvolvedor(a)de software, profissional que já ficou conhecido no mundo corporativo apenas como dev. A partir da escrita de códigos digitais, a pessoa desenvolvedora atua com criação, aprimoramento e manutenção de plataformas digitais, como sites, aplicativos e inúmeros tipos de software que são usados por milhões de pessoas no dia a dia.

Justamente por serem parte fundamental do processo de digitalização de qualquer empresa, independentemente do tamanho, as pessoas devs estão cada vez mais requisitadas, já que há mais vagas a serem preenchidas do que profissionais capacitados para ocupá-las.

Então, se trabalhar com a criação de ferramentas digitais interessa a você, é bom manter essa carreira no seu radar pelos próximos anos.

Para atuar na área não existe um único caminho. É possível fazer cursos livres específicos ou graduação e pós-graduação ligadas à tecnologia, como Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciência da Computação e Engenharia da Computação.

O que realmente faz a diferença na hora de se candidatar a uma vaga é adquirir experiência profissional para construir um bom portfólio.

2. UX/UI designer

Outra carreira que também está bastante em alta é a de UX/UI designer ou designer de experiência do usuário. Esse profissional é responsável por garantir que a experiência do cliente de uma empresa seja a melhor possível em determinada plataforma digital, como e-commerce, aplicativo, rede social e serviço de streaming.


Sabe quando você vai preencher um cadastro em um site e são tantas etapas que acaba desistindo? Ou então quando quer comprar um produto e o botão para calcular o frete está tão escondido que você não o encontra? Essas e várias outras questões ligadas à usabilidade de ferramentas digitais são tarefas de UX/UI designer. É esse profissional que vai pesquisar a fundo o comportamento do usuário e, a partir desses dados, desenvolver estratégias para tornar a experiência cada vez mais agradável.

Para seguir essa carreira, é possível partir de graduações como a de Design Gráfico ou Design de Produto, Marketing e Sistemas de Informação e então fazer um curso livre ou uma pós-graduação na área. Mais uma vez, o que realmente conta é o portfólio.

3. Analista de big data

Essa profissão não é novidade, mas está ganhando novas atribuições com a digitalização das empresas. Desde sempre, as organizações que buscam expandir os negócios precisam ficar atentas aos dados relacionados ao próprio desempenho, pois são informações cruciais para avaliar se a empresa está no caminho certo em direção aos objetivos.

A questão agora é que, com o crescimento do mundo digital, o volume de dados relacionados a uma companhia cresceu muito, assim como a necessidade de se ter uma pessoa especializada que possa organizar, sistematizar e analisar essas informações de maneira estratégica. É o caso do analista de big data ou analista de dados, que é capaz de tratar todas as informações referentes a uma empresa e as apresentar de forma estruturada para facilitar a tomada de decisões importantes.

Quem se interessa por ingressar nessa carreira pode estudar em cursos como o técnico em Gestão de Tecnologia da Informação ou a graduação em Ciência da Computação — lembrando que faz toda a diferença se especializar com alguma pós-graduação ou curso livre depois.

4. Engenheiro de inteligência artificial (IA)

Se antes ela parecia distante e até um pouco assustadora, hoje a inteligência artificial faz parte da nossa vida e está presente em inúmeras plataformas e ferramentas digitais, das mais simples às mais elaboradas. Para dar conta dessa demanda crescente, a profissão de engenheiro de inteligência artificial (IA) tem ganhado força e exigido alta especialização, já que são esses profissionais os responsáveis por criar, programar e “treinar” máquinas com capacidade de aprender e se desenvolver por conta própria.

Justamente por isso, os salários tendem a ser altos e bastante atrativos. Alguns cursos possíveis para iniciar nesse caminho são as graduações em Engenharia, Ciência da Computação, Estatística e Matemática, entre outras similares — além, é claro, de cursos livres e pós-graduações.

5. Product manager

Com o aumento da oferta de produtos digitais, cresceu a demanda por profissionais que possam acompanhar do começo ao fim o processo de desenvolvimento desses serviços, com foco no alinhamento do time, no planejamento e na estratégia.

É aí que entra o product manager ou gerente de produto, responsável por entregar um produto de qualidade e alinhado às necessidades do público-alvo e aos objetivos da empresa, que aumente o portfólio da marca e gere mais receita ao negócio.

Quem deseja trabalhar nessa área precisa ter habilidades diversas, pois vai liderar um time multidisciplinar. Por isso, não existe uma formação específica para essa carreira, o que faz que cursos livres em gestão de produtos sejam uma ótima pedida para os interessados.

1 visualização0 comentário
174879.png
bottom of page